Leite enriquecido com micronutrientes reduz biomarcadores inflamatórios em crianças
Doença Cardiovascular (DCV) é uma doença crônica relacionada com a nutrição e responsável por um número considerável de morbidade e de mortalidade do mundo. DCV pode se iniciar na infância e progredir lentamente ao longo da vida adulta até causar significativa patologia vascular que conduz a uma DCV aguda. Há uma série de fatores relacionados a dieta e estilos de vida que são conhecidos como fatores de risco para DCV. É cada vez mais reconhecido que o desenvolvimento de DCV e outras doenças crônicas devem-se por processos inflamatórios crônicos de baixo grau. Na fase inicial da DCV há maior adesão de leucócitos e monócitos na parede dos vasos sanguíneos e migração destas células para camadas vasculares mais profundas, levando ao desenvolvimento de um processo vascular patológico.

Biomarcadores de adesão vascular como E-selectina, moléculas de adesão vascular (VCAM-1) e moléculas de adesão intercelular (ICAM-1) podem ser medidos em amostras de sangue e podem ser utilizados para monitorar efeitos anti-inflamatórios causados pela modificação na dieta. Assim, recentemente observa-se um interesse cada vez maior no desenvolvimento de produtos alimentares enriquecidos e que tragam benefícios para a saúde, incluindo a prevenção de doenças crônicas.

Em um estudo publicado recentemente por investigadores espanhóis, observou-se a influência de um leite fortificado em biomarcadores de doenças vasculares em crianças. No presente estudo, 119 crianças (metade meninos e metade meninas) de 8-14 anos foram divididos aleatoriamente para receber leite normal ou leite fortificado por 5 meses. Os dois grupos receberam 600 ml/dia de leite não fortificado ou um volume igual de Puleva Max® enriquecido com óleo de peixe, ácido oléico, carboidrato adicional, gordura saturada reduzida, vitaminas A, B1, B2, B3, ácido pantotênico, B6, biotina, ácido fólico, B12, C, D, E e minerais Cálcio, Fósforo e Zinco.

A diferença mais notável entre os dois grupos após 5 meses de estudo foi uma redução significativa dos marcadores da inflamação E-selectina e ICAM-1 no grupo suplementado com leite enriquecido em comparação com o grupo controle que recebe leite não fortificado.

Essas observações sugerem que o consumo de alimentos funcionais contendo óleo de peixe, ácido oléico, minerais e vitaminas podem reduzir índices de ativação das células endoteliais, o que poderia ter efeitos benéficos contra os riscos para a saúde.

Fonte: Romeo J et al. Nutrition, Metabolism & Cardiovascular Disease 2011; 21:113-120.